Regras da Ginástica Artística

By | 16/05/2018

Oportunidades em Educação Física

Apostila Educação Física Concursos
Cursos Online na Área de Educação Física


Introdução: Regras da Ginástica Artística

Presente desde os primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna (1896), a Ginástica Artística desafia os limites do corpo com apresentações que demonstram força, precisão e muito equilíbrio. A ginástica artística também é conhecida por “ginástica olímpica”, uma modalidade tradicional que se popularizou pelas mãos do alemão Friedrich Ludwig Christoph Jahn (1776 – 1838) – o pai da ginástica. Mas o esporte é disputado de forma diferente entre homens e mulheres. São quatro provas no feminino e seis no masculino. Entenda as regras da ginástica artística.

Entidades Organizadoras da Ginástica Artística

As Regras da Ginástica Olímpica são organizadas pela Federação Internacional de Ginástica (FIG), órgão máximo que regula todas as competições internacionais, inclusive as realizadas no Brasil. Entretanto, no âmbito nacional também temos a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) como entidade promotora da ginástica no país, desde 1978.

As Competições de Ginástica Artística

A FIG orienta as regras da Ginástica Artística Feminina (GAF) e da Ginástica Artística Masculina (GAM) com normas diferentes para cada categoria. Além disso, as competições olímpicas seguem quatro fases para ambos os gêneros, que geralmente duram até 9 dias:

  1. I – Eliminatórias: todos os ginastas competem.
  2. II – Finais por Equipe: competem as 8 melhores equipes classificadas nas Eliminatórias.
  3. III – Final Individual: competem os 24 primeiros ginastas classificados nas Eliminatórias, sendo no máximo 3 participantes por país.
  4. IV – Final por Prova: os 8 melhores ginastas classificados nas Eliminatórias em cada prova/aparelho. Ou seja, é determinado o melhor ginasta na prova de barra fixa, no solo, etc.

As maiores competições de ginástica artística acontecem nos Jogos Olímpicos, no Campeonato Mundial e na Copa do Mundo de Ginástica. A idade mínima para participação em competições olímpicas é de 16 anos. Aliás, um problema enfrentado no esporte é a falsificação de idade principalmente para competir.

Pontuação na Ginástica Artística

Os ginastas realizam dois conjuntos de exercícios: os obrigatórios e os livres. Dessa maneira, os livres podem ser criados pelo próprio atleta para que consiga pontos extras em sua nota final. Os nove juízes levam em consideração alguns fatores como a combinação dos movimentos, dificuldade, originalidade e execução.

Assim, a pontuação também tem relação com a exigência dos aparelhos, que vai do nível A (mais simples) até o E (mais complexo). Contudo, os juízes vão deduzindo alguns décimos correspondentes em virtude de faltas cometidas ou elementos obrigatórios não executados.

Movimentos Técnicos da Ginástica Artística

A ginástica artística apresenta movimentos acrobáticos variados, assim como piruetas e mortais. Alguns desses movimentos técnicos são:

  • Avião: movimento que demonstra equilíbrio do ginasta ao elevar uma perna para trás, deixando os braços abertos.
  • Flic-Flac: movimento típico para dar impulso ao corpo nas provas. O ginasta estica os braços para cima e se prepara para realizar a acrobacia.
  • Parafuso: o ginasta faz uma rotação em torno do próprio corpo no solo, sem utilizar as mãos.
  • Dos Santos (Duplo Twist Carpado): movimento que leva o nome da ginasta brasileira Daiane dos Santos, pois foi a primeira a apresentá-lo. Consiste em dois giros em torno do próprio corpo, seguido de dois mortais no ar, além de uma flexão no quadril.

Aparelhos da Ginástica Artística

Na categoria masculina, os ginastas competem em seis provas: barra fixa, barras paralelas, cavalo com alças, salto sobre a mesa, argolas e solo. Por outro lado, as mulheres competem em solo, salto sobre a mesa, barras assimétricas e trave de equilíbrio.

As disputam oficiais apresentam nove aparelhos de ginástica artística, a saber:

  1. ● Solo;
  2. ● Salto sobre a Mesa;
  3. ● Trave de Equilíbrio;
  4. ● Barras Paralelas Assimétricas;
  5. ● Barra Fixa Horizontal;
  6. ● Barras Paralelas Simétricas;
  7. ● Argolas;
  8. ● Cavalo com alças.

Apesar das diferenças, a ginástica artística masculina e a feminina competem em duas provas similares: Salto sobre a Mesa (também conhecido como “Salto sobre o Cavalo”) e o Solo.

Ginástica Artística Feminina

Aparelhos da Ginástica Artística Feminina

Solo

Prova realizada em um tablado quadrado com 12 m de largura e comprimento. Na categoria feminina, a apresentação de solo dura 90 segundos e é acompanhada por música. Dessa forma, os movimentos ginásticos e acrobáticos são avaliados pelos juízes, assim como elementos de dança.

A queda no solo, por exemplo, desconta 0,8 pontos. Pisar fora do tablado e executar movimentos com pequenos desequilíbrios também sofrem penalidades.

⇒ Melhore sua forma física em 17 dias!

Salto sobre a Mesa

A ginasta faz uma corrida de no máximo 25 m, na marca delimitada, e então pega o impulso para o salto em um trampolim sobre a mesa. Nesse movimento, é avaliada a dificuldade, a altura do salto e também a execução. Além disso, a chegada ao solo deve ser cravada, uma vez que desequilíbrios geram descontos na nota.

Barras Paralelas Assimétricas

Nessa prova, a ginasta executa uma série de movimentos obrigatórios alternando movimentos entre duas barras de alturas diferentes. A mais alta mede 2,4 m, enquanto a barra mais baixa mede 1,6 m. Ou seja, é um aparelho onde o impulso para a realização dos elementos é essencial. Mas caso a ginasta caia, ela tem 30 segundos para retomar o exercício.

Trave de Equilíbrio

Chamada também de “trave olímpica”. Consiste em uma prova onde as ginastas devem realizar movimentos acrobáticos com boa postura em cima de uma trave, assim como os saltos e giros. É um aparelho difícil porque exige movimentos precisos e equilibrados na apresentação. A trave possui 5 m de comprimento e 10 cm de largura.

Ginástica Artística Masculina

Aparelhos da Ginástica Artística Masculina

Barra Fixa Horizontal

Prova exclusiva para os homens, que devem realizar piruetas, giros e passadas de mão em uma única barra com 2,8 m de altura e 2,40 m de comprimento. A apresentação dura cerca de 15 a 30 segundos.

Barras Paralelas Simétricas

É uma prova que exige grande força e agilidade, sendo preciso realizar movimentos giratórios com bastante sustentação, visto que as regras da ginástica artística exigem que o ginasta percorra toda a barra em sua apresentação. As barras possuem até 2 m de altura, 3,5 m de comprimento e ficam entre 42-52 cm de distância uma da outra. O salto de saída também é um movimento importante nessa prova.

Cavalo com Alças

Aparelho que possui duas alças sobrepostas em uma trave, onde o ginasta executa passadas de perna variadas. A postura durante a execução da prova também é avaliada pelos juízes. Além disso, as pernas não podem encostar na trave, que realmente parece um tronco de cavalo. Possui 1,15 m de altura por 1,60 m de largura, com alças a 40-45 cm de distância uma da outra.

Argolas

Um dos aparelhos mais difíceis para os ginastas, pois ficam suspensos por duas argolas e contam apenas com o impulso do próprio corpo para executar os movimentos. As argolas ficam a 2,75 m do solo.

Salto sobre a Mesa e Solo

As regras da ginástica artística masculina nessas duas provas são as mesmas da categoria feminina. Contudo, há apenas uma pequena diferença: na prova de Solo masculino, a apresentação é realizada sem música, em 70 segundos.

Um dos grandes nomes da ginástica artística é Nadia Comăneci, a primeira ginasta a ganhar nota 10 de todos os juízes, conquistando uma apresentação perfeita nos Jogos de 1976.

Ginastas brasileiros como Daniele Hypólito e Arthur Zanetti, além de Daiane dos Santos (já aposentada), são inspiração para muitas crianças que começam desde cedo sua preparação no esporte.

  • 30
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis − três =