Princípios do Treinamento Desportivo _ :) _

By | dezembro 7, 2018

Import√Ęncia dos Princ√≠pios do Treinamento Desportivo

O Treinamento F√≠sico, desde uma simples corrida at√© a alta performance exigida por esportes mais profissionais, envolve muitas fun√ß√Ķes fisiol√≥gicas e psicol√≥gicas humanas para se alcan√ßar √≥timos resultados. Isso mostra a import√Ęncia de conhecermos os Princ√≠pios do Treinamento Desportivo para o planejamento de um bom treino e para a evolu√ß√£o e desenvolvimento f√≠sico, seja voc√™ atleta profissional ou n√£o.

O treinamento físico deve ser feito avaliando cada fator da periodização do treinamento. São princípios essenciais para um treino físico saudável e direcionado ao objetivo correto de qualquer modalidade esportiva a ser trabalhada. Vamos entender melhor cada um deles neste artigo.

1. Princípio da Individualidade Biológica

O princípio da individualidade biológica explica que cada pessoa possui estrutura e formação físicas diferentes. Por isso, o treinamento físico individualizado (ou em grupos homogêneos com mesma função) aumenta as chances de melhores performances e resultados. O treinador analisa as potencialidades, fraquezas e necessidades de cada organismo para que o desenvolvimento do atleta seja eficaz.

Isso quer dizer que fatores como o genótipo e o fenótipo da pessoa devem ser considerados para o desenvolvimento pleno de suas capacidades físicas e habilidades esportivas. Ou seja, é preciso respeitar a individualidade biológica de cada um, pois a adaptação, a reação ao estímulo e a recuperação nos treinos são diferentes.

2. Princípio da Adaptação

As adapta√ß√Ķes biol√≥gicas s√£o as mudan√ßas estruturais e funcionais dos organismos. Essas altera√ß√Ķes ocorrem devido √†s atividades esportivas e psicof√≠sicas do atleta. Entretanto, a capacidade de adapta√ß√£o depende da rea√ß√£o ao est√≠mulo da carga do treinamento e frequ√™ncia de exerc√≠cios.

Nesse sentido, est√≠mulos fracos n√£o trazem consequ√™ncias positivas ao treinamento, enquanto est√≠mulos muito fortes podem causar danos. Por isso, os est√≠mulos devem gerar uma resposta positiva para haja o desenvolvimento das nossas habilidades. O organismo tende a buscar naturalmente um equil√≠brio (homeostase) que deve ser “quebrado” com o stress no treinamento esportivo, desde que n√£o exceda os limites de seguran√ßa.

3. Princípio da Sobrecarga

O princípios da Sobrecarga no treinamento físico diz respeito à aplicação de uma nova carga para que haja evolução no treinamento físico. Assim, uma carga maior que a anterior gera uma assimilação compensatória relacionada à quantidade (volume), qualidade (intensidade) e intervalo/frequência dos exercícios.

Por exemplo, se um atleta faz um exercício de extensão muscular do peitoral com 20 kg por um longo período, se não mudar o peso após determinado tempo, o organismo se acostuma e a atividade não irá trazer ganhos para a pessoa. A sobrecarga deve aumentar o aprimoramento fisiológico para que haja uma adaptação positiva no treinamento desportivo.

4. Princípio da Especificidade

A especificidade é um dos fatores essenciais entre os princípios do treinamento esportivo. Afinal, refere-se aos ajustes necessários para que o treinamento seja específico para a prova ou modalidade na qual o atleta irá competir. Ou seja, se alguém vai participar de uma maratona que prevê uma superfície em subida, deve considerar os aspectos metabólicos e neuromusculares no seu treinamento para essa fase específica.

O objetivo é melhorar a resistência do organismo considerando as especificidades do esporte trabalhado e seu desenvolvimento. Assim, o treinador deve estudar e criar métodos direcionados ao planejar o treinamento que ajude o atleta em seu desempenho.

5. Princípio da Continuidade

A Continuidade é um princípio ligado intimamente a um dos Princípios do Treinamento Esportivo: o da adaptação. A continuidade é fundamental para que o organismo, progressivamente, se adapte. Isso é extremamente relevante para a boa condição física do atleta. O Princípio da Continuidade compreende que o trabalho sistemático impede a quebra na evolução do desenvolvimento físico ou das capacidades e habilidades físicas.

Desse modo, deve haver persistência ao longo da preparação e treinamento do atleta para que obtenha um alto desempenho. A continuidade da prática esportiva também causa impactos psicológicos, visto que o treinamento contínuo mantém corpo e mente saudáveis e disciplinados ao objetivo. Com isso, a velocidade dos movimentos, resistência, força, flexibilidade e hipertrofia são desenvolvidas gradualmente.

NOSSO CANAL E WHATSAPP

Canal Dicas Educação Física

WhatsApp Dicas Educação Física

Oportunidades em Educação Física

⇒ Apostila Educação Física Concursos
‚áí Cursos Online na √Ārea de Educa√ß√£o F√≠sica

6. Princípio da Reversibilidade

A¬†Reversibilidade¬†ou Destreinamento √© um dos princ√≠pios do treinamento desportivo a ser considerado. A interrup√ß√£o no processo de treinamento causa uma revers√£o nos ganhos, pois as adapta√ß√Ķes e benef√≠cios s√£o transit√≥rios. Isso quer dizer que, se o atleta n√£o se mantiver ativo, o organismo tende a voltar ao estado inicial de desenvolvimento.

Quando o atleta se afasta do ritmo de treinamento, perde for√ßa e resist√™ncia essenciais para a manuten√ß√£o da sua performance. Consequentemente, os efeitos obtidos ao longo do tempo s√£o destreinados, e isso pode ocorrer com certa rapidez. Uma ou duas semanas sem treinar pode gerar redu√ß√Ķes significativas na capacidade metab√≥lica e em suas habilidades.

7. Princípio da Interdependência Volume-Intensidade

Este princ√≠pio est√° relacionado intimamente ao Princ√≠pio da Sobrecarga. Explica que o √™xito dos atletas est√° ligado aos est√≠mulos na intensidade e volume do treinamento. √Č preciso que haja harmonia entre essas duas vari√°veis para que ocorra uma real evolu√ß√£o na capacidade f√≠sica do atleta. E n√£o apenas no √Ęmbito f√≠sico, mas tamb√©m no psicol√≥gico, t√°tico e t√©cnico.

O treinador deve agregar qualidade ao treinamento esportivo, o que significa avaliar o tempo, n√ļmero de exerc√≠cios e o esfor√ßo realizado pelo atleta. Um planejamento errado no volume e na intensidade do treinamento pode prejudicar bastante a performance do esportista.

8. Inter-relação entre os Princípios do Treinamento Desportivo

Os professores de Educa√ß√£o F√≠sica e treinadores devem considerar todos os Princ√≠pios do Treinamento F√≠sico para direcionar seu planejamento. O bom desempenho do atleta est√° relacionado a fatores individuais que possuem valores e fun√ß√Ķes pr√≥prios. Assim, a integra√ß√£o entre os princ√≠pios √© fundamental para se fazer um programa de treinamento eficaz.

Alguns fatores externos também devem ser observados para o sucesso do atleta em seu esporte. Obter a excelência do treinamento é relacionar os princípios e a harmonia dos saberes para sua devida aplicação de forma saudável.

Os Princípios do Treinamento devem ser aplicados em todas as modalidades desportivas. São regras fundamentais, e com embasamento científico, a serem observadas para bons resultados nos treinamentos físicos.

Leia também ⇒ As Capacidades Físicas Básicas

REFER√äNCIAS BIBLIOGR√ĀFICAS

DANTAS, Estélio H. M. A Prática da Preparação Física. 3ª edição. Rio de Janeiro: Shape, 1995.

TUBINO, Manoel José Gomes. Metodologia científica do treinamento desportivo. 3ª edição. São Paulo: Ibrasa, 1984.

  • 125
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 3 =